13.10.09

Maria Amaral (Portugal)



    



   
    

   
     

    


O que ata ou desata a linha vaga e breve, intensa e clara ideia do que é ou deveria ser o silêncio?

O que é exactamente a pintura, a “habitabilidade gestual”, o talento, a Arte em si mesma?

Em que margem desassossegada se instalam os ritmos certos do que é e do que parece ser? Ou se quiserem, do que é aparência intencional e do que foge à retórica estilística?

Perguntas às quais nenhuma paleta responde. Perguntas que só fazem sentido enquanto isso mesmo: interrogações sobre um caminho vivido sempre a sós. Como ostensiva e serenamente faz Maria Amaral.

Uma Pintora que troca o lugar do silêncio, que abre as portas da solidão, que investe no rumor do azul quase pálido, que nos inquieta. Uma Pintura onde o espaço não tem mancha, onde as manchas invadem o nosso espaço de sonhar. E sempre o silêncio a bater nas arestas, e sempre um horizonte afogado de cinzas que nos apertam, de rosados estrangulados a quererem saltar, ora de um Alentejo ora de uma cosmopolita Nova Iorque.

Maria Amaral não facilita, não se desvenda em aventuras cromáticas fortuitas, não descura a forma, não aveluda as esquinas.

Maria Amaral trata com secreto pudor a dor maior do silêncio. E nele nos perdemos de tanto procurar o que existe de comum entre lugares tão separados quanto colados, e afinal, o que nos aproxima é uma arte pessoalíssima: a Arte de pintar o invisível, a Arte de arrebatar o ventre da cal à cal do silêncio.

Nesta Pintora, que não se mede por “modismos”, mede-se a distância. A terrível e fascinante distância do amor. Maria Amaral anda à solta por dentro das raízes. Deixemo-nos pois guiar nesta doce invisibilidade onde ainda nos é permitido imaginar a tela de um amanhecer. Que importa o lugar? Ela devolve-nos à pureza de um tempo sem limites!

Isabel Mendes Ferreira / Galeria JE 1997

   

10 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

?????????????????????????????

Ana Oliveira disse...

Admirável esta forma de nos "dar" a alma da artista.

Um beijo à Isabel
Um abraço JSM

José da Silva Martins disse...

Isabel Mendes Ferreira.

Caríssima Poeta vai-me desculpar, mas encontrar boa pintura com palavras suas é motivo para postar.
O meu sentido e reconhecido agradecimento pelas suas visitas a este espaço.

Agradeço também aos outros amigos e amigas que não desistem de aqui deixar as suas maravilhosas palavras. Acreditem que é uma alegria de cada vez que aqui cai um comentário

Obrigado a todos e um enorme abraço.

PiresF disse...

E fez muito bem JSM eu não conhecia.
E conhecer com a análise profissional da Isabel é meio caminho andado para um melhor e mais correcto conhecimento da obra da Maria Amaral.

Obrigado por isso.

Forte abraço.

mie disse...

Por ter gostado das obras que aqui nos deixas, ainda para mais por ter merecido a honra da "análise clínica" da nossa querida Poeta, fui pesquisar a pintora e foi uma boa surpresa. A sua obra é vasta e maravilhosa. Amei.

abraço aos dois...três.

maré disse...

um escancarar investido sempre de azul
franqueadas janelas ao olhar...

conhecia (conheço) pouco de Maria Amaral, tropecei um destes dias com algumas telas num blogue.
.

e a apreciação diz tudo
ou não fosse de uma arqitecta do traço, ramal do sangue que pulsa
na palavra, na tela.

Obrigado JSM
Origado Isabel

e soubesse eu dizer como se desmonta o silêncio, pertença desse ilimitado toque aportado no coração.

assim, feito de um impulso que se rasga de carinho... deixo um beijo
pontuado de timidas sílabas.

Maresias disse...

E aqui encontro um concorrente cada vez mais forte.



Querido JSM

a pintura de Maria Amaral mostrada nas palavras da Poeta IMF ganha outra dimensão.

Um beijo e re.beijo a todos.

isabel mendes ferreira disse...

bom ...se serviu para que a Maria Amaral seja mais re.conhecida....:) valeu.



bom dia a este Porto onde se amarram tantos remos ....

.

maria josé quintela disse...

não conhecia. o que eu andava a perder!



a pintura e as palavras numa cumplicidade perfeita!



obrigada JSM.

tb disse...

Só podia ser... Vim pela mão da senhora das palavras. Em boa hora! Parabéns!
:)abraço