22.10.09

J.V. Cunningham (E.U.A.)

      
    
     


foto jsm
   
      
     

Sobre um verso do «Belvedere»
              de Bodenham

«A experiência é a amante da velhice»:
Mantida à minha custa, velha como eu, cabra
E parasita, fornico-a cheio de raiva
E matá-la-ia, mas qual de nós é qual?


Tradução de José Alberto Oliveira
   
    

5 comentários:

PiresF disse...

Pois… um problema é que somos as duas e, outro problema, é que somos indivisíveis.

Forte abraço, caro JSM.

Maresias disse...

Qual de nós é qual?



Abraço JSM.

Isabel disse...

soberba este mar assim entranhado pela rocha adentro. "cavalgando" a velha experiência amante da velhice.


____________sinto-me tão "experiente"_________que gaita!
:)



mas a sério, J.Cunningham, tem o raro dom de ser tocante mesmo quando céptico e feroz. um "fazedor" de respostas às perguntas que pouco queremos saber fazer.

a minha admiração é enorme. e nunca "o" matarei!

:)

fonte de relâmpagos.


abraço.

Isabel disse...

e não é "soberba" mas sim "soberbO".




----------

maré disse...

eu como sou do contra :)...

vivo nas minhas rugas
na timidez da minha pele
rainha das neves de muitos invernos
maré de tantos verões

e já alguém disse, mais ou menos isto(que me perdoe o autor de quem não recordo o nome) quem renega o seu passado não construirá jamais um futuro.

_______

e um beijo José e aos meus queridos antecessores