12.11.09

Florbela Espanca (Portugal)

   
     



foto jsm




Tarde no mar


A tarde é de oiro rútilo: esbraseia.
O horizonte: um cacto purpurino.
E a vaga esbelta que palpita e ondeia,
Com uma frágil graça de menino,

Pousa o manto de arminho na areia
E lá vai, e lá segue o seu destino!
E o sol, nas casas brancas que incendeia,
Desenha mãos sangrentas de assassino!

Que linda tarde aberta sobre o mar!
Vai deitando do céu molhos de rosas
Que Apolo se entretém a desfolhar...

E, sobre mim, em gestos palpitantes,
As tuas mãos morenas, milagrosas,
São as asas do sol, agonizantes...
    
     

7 comentários:

Maresias disse...

Já chegou JSM?



Trouxe consigo a nostalgia presa no horizonte.


Agarrada a um raio de sol.



Confesso não ser fã da Florbela,
talvez por ignorância.


Seja, então, bem regressado. Já tinha saudades.


Beijo

isabel mendes ferreira disse...

não Maresias...não será por ignorância.
:)


antes por educação de gosto...embora este poema da tão reinventada FlorbelA seja um quase oiro...e ao tempo seria um "esbelto" cântico...

e serve muito bem o horizonte marítimo (saudoso?) do JSM.


o mar sempre foi "uma rosa a.deslumbrada" na poética universal.


e saio.

antes que me matem.
boa noite/dia aos vindouros.

hora tardia disse...

são. são as asas do sol. agonizantes.



são.


mas que ainda voam....aqui.

maria josé quintela disse...

e é tarde na terra. também.




um abraço JSM.

maré disse...

venha o mar e as crinas brancas sob o meu olhar.como um feitiço
no quebrar da rebentação.

amanso os meus soluços
e antes da agonia do sol
entrego-me
em braços de deuses
e ardo neste chão.

______

confesso que Florbela deve ter sido das primeiras poetisas que li,há muitos, muitíssimos anos atrás. aquele absolutismo da sua poesia, intensamente sofredor, sempre me fez lembrar a tragédia dos amores de Pedro e Inês.

um beijo JSM
múltiplo para que chegue a todos os que aqui passam.

PiresF disse...

Eu, de entre muitos que li da Florbela, este é dos que mais me agrada.
Já conhecia e é sempre um prazer reler, mesmo que, também não seja fã da poeta a exemplo das meninas lá para trás (ou lá para cima).

Beijos e abraços dependendo do sexo, que eu ainda não aderi a algumas modernices.

PiresF disse...

PS: Gaita, tenho de fazer já aqui uma errata: retiro o “ainda”.