3.11.09

Anónimo (Antologia Grega)

  
   



foto jsm

   
     
   
Oferenda
      
Ofereço-te um perfume? Ofereço-te ao perfume?
No fim de contas, tu — perfumas o perfume.



Tradução de David Mourão Ferreira
     
    

10 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

a capacidade de dizer muito "perfumando" pouco. texto da ciência antiga sempre de uma actualidade gritante.



bom dia JSM.

isabel mendes ferreira disse...

e esse barco corta o nevoeiro....e perfuma o horizonte..
:)

maria josé quintela disse...

como a escassez de palavras pode ser tão insinuante!






um abraço.

Maresias disse...

Este poema bem podia ser um texto de lançamento de um perfume requintado e irresistível.

"Ofereço-te um perfume? Ofereço-te ao perfume?
No fim de contas, tu — perfumas o perfume."

E as suas fotos são poesia da imagem(?).

Belas. Perfumadas.

Abraço JSM.

E saio no êxtase deste aroma.

Isabel disse...

perfumadamente como quem chama por uma chama....será vento será barco? mar não é certamente___________antes o interior de um nome que se chama sem arder na ardência de um perfume.
que fica!


.

PiresF disse...

Não temos nada a acrescentar onde tudo está dito.


“A posteridade”, disse Faguet, “só gosta de escritores concisos”

“Erostratus”. in Páginas de Estética e de Teoria Literárias. Fernando Pessoa.

PiresF disse...

PS: a frase acima dedico-a à IMF juntamente com esta:

“Tem a arte, para nascer, que ser de um indivíduo; para não morrer, que ser como estranha a ele.”

Textos de Crítica e de Intervenção. Fernando Pessoa.

isabel mendes ferreira disse...

:)

e "a vida é a hesitação e uma interrogação. Na dúvida, há um ponto final"


Fernando Pessoa no Livro do Desassossego.


obrigada PiresF, com beijo matinal.

maré disse...

... e as fotos são sempre magnificas

um beijo a todos

o perfume já ficou

em cada sílaba pronunciada

_____

Bom domingo, vou dormir no embalo da chuva

Graça Pires disse...

Do perfume das palavras...
Um abraço.